Silvia da Fonte

Quando o assunto é criar, Sílvia da Fonte dedica-se ao mergulho intenso nos estudos e pesquisas em busca de inovações e formas de expressão que traduzam seu espírito criativo e curioso.


Iniciou sua trajetória artística na Escola de Belas Artes, PE dedicando-se ao desenho livre por dois anos. Posteriormente na Scuola Arte Sollo Tetto, Firenze, cursou Desenho em Jóia. A partir disso, manteve ateliê aberto durante trinta anos trabalhando com prata e gemas.


Após essa longa trajetória escolhe substituir o metal por argila quando imerge no Atelier das Águas Belas de Cristina Machado, Recife permanecendo por dez anos e se aprofundando no curso de Expressão em Cerâmica.


Com o intuito de buscar uma forma significativa e com propósitos, Sílvia da Fonte embarca numa pesquisa sobre ancestralidade. A partir de estudos de caráter etnográfico passa a analisar genuinamente os costumes, comportamentos e crenças de algumas regiões africanas como; Quênia, Tanzânia, África do Sul.


O ponto crucial surge na observação das entidades, suas representações e seus desdobramentos nas formas de expressão de cada povo. A sabedoria e riqueza cultural encontradas na simbologia deste povo são manifestadas através de adornos, pinturas corporais, gestos e fisionomias.


O processo criativo de Silvia se transfigura por sua generosa expressão tátil e tem como objetivo a representação dessas simbologias. A argila, fonte rica de mineral provida pela terra, se encontra como suporte essencial energético e físico, servindo como fonte de ligação do subconsciente da artista para a figuração dessas entidades que carregam o berço da humanidade.