JEFF ALAN

Jeff Alan ( Recife) - O jovem artista usa uma miscelânea de elementos e de temáticas para se expressar. Daltônico, sente-se mais à vontade ao usar o contraste entre o preto e branco. Mas nos últimos anos resolveu dar cores a algumas de suas obras.
“É difícil para mim distinguir as cores, resolvi ousar e integrar colorido em alguns trabalhos e o feedback do público tem sido muito legal”, explica.


Estudante de Arquitetura e Urbanismo de 30 anos, é cria do bairro do Barro, zona oeste de Recife. Jeff tem procurado, além de se transformar, modificar o cotidiano dos seus vizinhos com suas pinturas. Ao andar pelos becos e vielas da região, é fácil achar suas obras de artes espalhadas pelos muros, fachadas das casas simples e em áreas revitalizadas e transformadas em locais de convivência:


"O grafite tem um lado solidário porque as pessoas se reúnem para pintar em áreas de vulnerabilidade social. A gente precisa alcançar essa gente que vive ofuscada. Ali, dentro dos imóveis, existem famílias, sentimentos. Quero devolver a esperança para elas e mostrar outras possibilidades com o meu trabalho.”


A capacidade de criar é visível nos diversos suportes utilizados. Além de telas, paredes e papéis, há obras em recorte, colagem, argila e madeira. A marca registrada da sua arte está no entrelace de curvas com inspiração na fauna, flora, movimentos corporais e no caos urbano. Elementos do Nordeste, especialmente os cactos, também são recorrentes em seus trabalhos.


Na última série criada, ele trabalha com traços contínuos que revelam a negritude do povo.


Jeff já participou de exposições coletivas em Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, também teve as obras expostas como parte do cenário do programa "Encontro com Fátima Bernardes".